SÓ NÃO SE ENGANA QUEM CEDE AO MEDO DE CAMINHAR NO DESCONHECIDO - SÓ SE PERDE AQUELE QUE NÃO ESTÁ SEGURO DO RUMO QUE ESCOLHEU.

sábado, 10 de outubro de 2009

O desacreditado prémio nobel da paz

O comité do prémio Nobel acaba de anunciar a escolha de Barak Obama, presidente em exercício nos EUA, para a atribuição este ano do prémio Nobel da Paz. Não obstante a existência de numerosos outros casos de entrega deste prémio já há muito o revelarem, a escolha este ano de Obama só vem confirmar o profundo descrédito que atinge o comité Nobel, transformado em comité político pró-imperialista e cujas decisões visam atribuir credibilidade (?) à condenável política externa estadunidense, perante o crescente isolamento e descrédito, interno e externo, do presidente norte-americano.
Desta forma, é elogiado o dirigente imperialista de turno que, não obstante anunciar há meses a retirada das suas tropas de ocupação no Iraque, mantém neste país a política externa de dominação militar e de rapina das riquezas nacionais do povo iraquiano. No Afeganistão, desde que foi eleito, Obama não só não retirou as tropas norte-americanas daquele país como se prepara para enviar mais algumas dezenas de milhares de soldados, em reforço da tentativa de manter o controle sobre um povo que, submetido a uma guerra de agressão que já dura há oito anos, acaba de ser sujeito a uma das mais escandalosas operações de manipulação de um processo eleitoral, com o descarado apoio dos EUA e o exclusivo propósito destes de manterem no poder, a ferro e fogo, o seu tiranete Karzai.



Um prémio Nobel da Paz atribuído ao presidente de um país imperialista que mantém mais de oito centenas de bases militares de ocupação em dezenas de países, espalhadas por todos os continentes. Na Colômbia, onde já possui instalações militares suas, Obama prepara-se para reforçar essa ocupação militar com a construção de mais sete bases, com o intuito óbvio de transformar aquele país - governado pelo fascista narcotraficante Uribe - em placa giratória para futuras agressões militares aos povos de toda a América Latina. A reactivação recém-ordenada da IV Esquadra da marinha norte-americana, não deixa dúvidas a este respeito.



Contraste brutal, a evidenciar a profunda hipocrisia do comité Nobel da Paz, informam as agências de notícias que uma das personalidades cujo nome esteve considerado e que perdeu a "eleição" para Barak Obama é a prestigiada deputada colombiana Piedad Córdoba, incansável e corajosa lutadora pela paz no seu país, onde tem desempenhado relevante papel para obter acordos entre o governo usurpador de Uribe e as FARC que permitam a troca e libertação de prisioneiros de guerra em poder dos dois lados do conflito.



Segundo as agências, a escolha de Barak Obama suscitou surpresa mesmo entre os líderes de vários países capitalistas, que entretanto se apressaram a enviar-lhe saudações. Não resisto, pelo seu particular significado, denunciador do farisaísmo da entrega deste prémio, a transcrever duas dessas mensagens. Durão Barroso, presidente da comissão da UE - e um dos quatro facínoras que sancionaram a guerra de agressão contra o Iraque - afirmou que "Este prémio é um incentivo para todos que desejam um mundo mais seguro"(!); por sua vez, Benjamin Netanyahu, presidente sionista de Israel, declarou: "Estou desde já muito feliz pela expectativa de trabalhar em estreita colaboração com o senhor durante os próximos anos, para fazer avançar a paz e dar esperança aos povos da região que merecem viver em paz, em segurança e com dignidade"(!!).


São estes e outros os incomensuráveis hipócritas "amantes da paz", com os quais os trabalhadores e os povos estão confrontados. Não faltarão agora as "peças jornalísticas" dos escribas e pivôs de plantão, enchendo páginas e horas de emissão dos meios de "comunicação" dominantes, cantando loas à decisão do prémio norueguês e "debatendo" as razões da escolha e os porquês da rejeição de outros nomeados. Outros, mais envergonhados, deixarão os seus piedosos "votos" para que Barak Obama use agora este prémio contra os falcões do Pentágono. Desafortunadamente, no final muito pouco os distinguirá, uns e outros, todos agentes do sistema.



O prémio Nobel da Paz deste ano é uma verdadeira bofetada nas faces de todos aqueles que sinceramente acreditam na Paz, na mediação e negociação justas e honestas, na busca de caminhos que conduzam ao fim dos conflitos e das guerras de agressão imperialistas que afligem o mundo, ao desarmamento dos arsenais nucleares, à igualdade e à harmonia entre as nações. Cabe-nos não calarmos a nossa justíssima indignação e o nosso vigoroso grito de denúncia. Derrotando os agressores e os seus propagandistas, a paz entre os povos, vencerá!



5 comentários:

JLC disse...

Uma das grandes "batalhas", no campo ideológico, bastante complicada e difícil de travar com as pessoas, os trabalhadores, os jovens etc, é a questão do Barack Obama e do imperialismo "camuflado" americano.
Pois é claro que existe uma mudança, a primeira vista, de comportamento e mesmo de ideias desta administração para a anterior. Mas para as simples pessoas que por qualquer motivo não se informação e apenas só vem o telejornal da noite a diferença de Obama para Bush e da "noite para o dia".

A ver vamos como será o caminho da história na "Barackmania".
Abraços

JLC disse...

aahh, já me esquecia...

Mas sem dúvida que o prémio Nobel da paz esta totalmente desacreditado... mas já o está à muito tempo.


Abraços

Diogo disse...

Durão Barroso e o Iraque

Anónimo disse...

meu amigo,
como fico feliz em ler algo em que me identifico e acho justo, palavras prontas e certeiras para um dirigente que governa um país que é reponsável pela quebradeira mundial e pelas consequências nada pacíficas geradas no mundo inteiro; pelo fomento à violência e à guerra, depois desta essa comitê perdeu totalmente o seu objetivo e, acho que a mensagem de aprovação do comitê que o elegeu deveria terminar com as seguintes palavras:
"hasta la vista baby...bummmmmmm!"
"deus salve a américa" e o resto que se foda.

joseluz disse...

Caro Filipe
Penso que você já disse tudo sobre a ipocresia das atribuições "nobel"
por isso venho apenas aqui para o chamar a atenção de dois artigos que sairam agora em "odiario.info" e que são de Pedro Carvalho "A crise do sistema capitalista- entre a depressão e a guerra" trata-se de uma análise e propostas completamente diferente daquelas que o PCP propôs no seu programa eleitoral,que como sabe vão no sentido de salvaguardar os interesses da burguesia nacional.
O outro texto é de Pavel Blanco Cabrera,sobre o MCI e a necessidade da sua revolucionarização "Está aberta uma perspectiva anti-capitalista" que por acaso vem ao encontro da nossa discussão anterior.
E ainda este artigo sobre as eleições em Portugal que está em "alutaoperaria.wordpress.com"
Brevemente responder-lhei sobre as questões que me colocou sobre Mao Tsé Tung
Um abraço Filipe